Procure Edições Antigas

sábado, 16 de março de 2013

Je me Souviendrai Toujours!


"One day when the light is glowing
I’ll be in my castle golden
But until the gates are open
I just wanna feel this moment
"
(Feel this Moment - PittBull feat Chrinstina Aguilera

 
Comecei a escrever algo meio down ontem há noite, sobre depressão e saudade, essas coisas... Daí eu pensei: "Porque escrever algo assim agora?? EU TO NO CANADÁ, PORRA" hauahauahauahauahaauah
 
E é nesse clima mais alto astral que eu venho aqui fazer umas observações importantes e mostrar minhas percepções, finalmente! De fato, tenho percebido que meu comportamente nas redes sociais ainda está muito longe do ideal ou esperado. Ando muito ligado às minhas origens ainda. Não que eu queira ou tenha que me desligar delas, mas é saudável deixar certos aspectos "na gaveta" nesse momento, afinal de contas, preciso viver esse momento intensamente, não? Aproveitar e absorver o máximo desta grande oportunidade que me foi concedida...
 
Muitas pessoas falam sobre impacto cultural que as pessoas sofrem quando vão viver em um país diferente, sobre seus aspectos bons e ruins, suas curiosidades... E curiosamente, só consigo começar a perceber aspectos que poderiam ser "negativos" agora, quase três meses depois que eu cheguei no Canadá. Mas nada que apague ou ofusque o brilho da minha satisfação em estar num país tão Fantastique!
 
Antes de viajar, ouvia muito pouco sobre o Canadá, muito menos sobre o Québec, província onde me encontro atualmente. As únicas coisas relevantes que sabia de fato a respeito é que o Canadá era um país bem frio, com alto índice de qualidade de vida, onde se pode usar maconha sem que isso seja um crime, onde a Religião não interfere na vida das pessoas de maneira significativa. Sobre o Québec eu só sabia mesmo que era um grande província na América do Norte onde se falava francês e se comia Poutine! hahaha
 
O impacto cultural foi grande desde que pus meus pés no Aeroporto Internacional de Toronto, na minha primeira escala fora do Brasil. Pense numa cidade bem grade, bem iluminada, e com o chão coberto de branco... Foi a primeira visão linda que tive do Canadá, e olha que esta está longe de ser uma das coisas mais lindas que ví por aqui. Montréal também me impressionou muito, mesmo no primeiro momento, quando eu estive só de passagem, já que meu destino final era Sherbrooke, uma linda ville de la campagne nos arredores da Capital.
 
Minhas primeiras impressões, além do frio apaixonante, foi com a limpesa das ruas, a simpatia dos canadenses e seu sotaque bem peculiar do Francês. Estradas de paisagem repetitiva, repletas de pinheiros, árvores bordo desfolhadas e muita, mas MUITA neve... Ahh, a neve é realmente uma coisa fantástica, micro e macroscopicamente! Fofa, úmida e escorregadia... Deixa suas mãos dormentes ao toque, mas ainda assim de início você não resiste em querer sentir aquele frio na sua pele...
 
Tudo aqui é diferente: a comida, o café, as pessoas, a forma como as pessoas lidam com a própria vida e com a TUA vida, o valor e a paciencia que recebemos e com que nos tratam, a facilidade com que resolvemos problemas, apesar da burocracia... É um lugar apaixonante, a cada dia me apaixono mais pelo Québec. Sair de um país onde as pessoas só sabem reclamar da própria cultura para aportar em uma província em que o amor pela sua cultura vem expressa até mesmo nas placas dos carros de cada cidadão é realmente muito impactante!
 
 
 
Outra impressão muito boa, desta vez sendo mais específico, é o respeito que as pessoas têm em relação a sexualidade de cada um. Em momento nenhum fui discriminado ou tratado diferente por ser homossexual. As pessoas aqui não estão preocupadas com o que você faz com o seu corpo, com que você dorme todas as noites, ou por quem você sente atração. Se existe homofobia aqui? Sim, infelizmente isso existe em qualquer lugar, mas está longe de ser um extremo. E é lindo ver um estado verdadeiramente laico, onde cristãos, ateus, muçulmanos e diversas outras crenças convivem realmente bem.
 
Não pense, no entanto, que não existem problemas aqui... Aquí é proibido beber alcool em público, você pode ser multado se atravessar fora da faixa, e a neve que gruda na sua bota pode transformar seu quarto numa bagunça lamacenta... hahahaha. Mas acho que isso é bem suportável, né? E como todo brasileiro, tenho o dom de fazer graça de tudo... Até mesmo quando de chamam de /rúlio/ ao invpes de /júlio/ achando que no Brasil se fala espanhol... hauahauahauhauahauah
 
 
 
Um grande abraço, queridos!
Até o próximo!!!

8 comentários:

Margot disse...

Rulio.... cuide de suas botas e cuidado para não cair nessa imensidão branca....
Beijos querido

Walmir Neto disse...

Rúlio? Que triste. Hahahahaha!... Amei o post, sua coisa fofa. Adorei as impressões de viagem, adorei a escrita, adorei a beleza do Canadá que você descreveu. Felicidades demais pra você! Aproveite a experiência. Te amo foreva!

FOXX disse...

menino, vc já tá no Canadá?
nem falou!
como é por ai? conta mais!

Edu ardo disse...

Rulito Pirulito, aproveite sim, mergulhe fundo. Nada de tristeza. Quando/se você voltar pro Brasil, você traz um pouco dessa cultura e educação pra cá. Quem sabe um dia a gente chegue mais perto desse nível? Aos pouquinhos...

Edilson Cravo disse...

Rulio:

Lembrei do Julio Iglesias..sei lá..hahahaha.

Você deve aproveitar o máximo esta experiência tao rica e especial.

Beijo e linda semana.

railer disse...

que bacana, júlio!
o canadá é um lugar que 'ainda' não conheço. aproveite bastante e conte tudo pra gente curtir junto com você!

profitez!

Ro Fers disse...

Canadá? Como assim?
Caraca, que bacana... Que mudança radical, até imagino o impacto cultural.
Sucessos ai.
Abraços!

Homossexual e Pai disse...

muito legal este texto, sobre depressão, obrigado por dividir conosco...