Procure Edições Antigas

domingo, 23 de janeiro de 2011

Ninguém Vai me Dizer o Que Sentir

"Vivo feliz, tenho amor
Eu tenho desejo e um coração
Tenho coragem e sei quem eu sou
Eu tenho um segredo e uma oração"
(Soul Parsifal - Legião Urbana)

Não sei porque demorei tanto para falar sobre isso aqui. Se eu não postasse hoje, não postaria nunca mais... kkkkk, afinal, já faz mais de 20 dias que isso aconteceu. Mas enfim, estou dividindo isso com vocês porque foi uma situação muito incomum, para não dizer inusitada. Culpa minha? Sim, culpa minha, mas não só minha, dos outros envolvidos também. Foi algo quase que proposital da minha parte. Vou explicar melhor.

Dia 31 de dezembro, véspera de ano novo. O Gui e o Bruno me chamaram para passar o Reveillon em Copacabana com eles. Eu não fui. Se fosse, minha mãe teria ficado aqui sozinha na virada, já que meu pai não passa das 23h acordado. Eu também estava muito desanimado naquele dia, sabe aquele desânimo que aparece sem explicação? Era eu naquele dia... Sem saco nenhum para festas ou badalações.

Minha irmã tinha me presenteado com uma garrafa de vinho verde no Natal (kkk, só minha irmã para inventar presentes assim). Eu adoro vinho verde, ainda mais em pleno verão, com o calorão que fazia aquele dia. Começamos a beber, eu e minha mãe. Meu pai preferiu ficar na cerveja, claro que acabei bebendo com ele também depois... Eu não sou de ficar bêbado com facilidade. Dificilmente passo mal por causa de bebida. Mas uma coisa é certa: minha personalidade muda bastante quando eu estou sob efeito do álcool.
Quem me conhece pessoalmente sabe que eu sou um rapaz bastante calado e tímido reservado. Meço muito as minhas palavras, principalmente em conversas formais. Quando bebo, a coisa muda. Eu me liberto dessa muralha de timidez e acabo criando coragem para falar ou fazer tudo aquilo que não passava na triagem vocabular do meu eu sóbrio. Eu me exponho, muito até, para o meu gosto. O fato é que uma garrafa de vinho verde e mais umas 4 latinhas de cerveja foram suficientes para me fazer sentir vontade de gritar para qualquer um que passasse na rua: EU SOU GAY!

É claro, essa quantidade pequena de bebida jamais seria suficiente para me fazer consumar o ato, de fato. Eu sei o limite da minha exposição, e não há vodka, ou tequila ou absinto que me faça utrapassar esse limite. Mas isso era uma coisa que tava me sufocando. Porque eu sentia que, mesmo já sendo assumido, mesmo as pessoas certas já sabendo, minha personalidade não deixava que isso ficasse claro. Não que isso fosse uma obrigação minha, claro que não.

Sexualidade é algo particular, e não interessa a mais ninguém, a não ser a pessoa e aos seus devidos(as) parceiros(as). O problema é que eu não me sentia bem limitando a minha imagem, não me sentia bem em fazer as pessoas criarem uma imagem de mim completamente divergente daquilo que eu realmente sou. Como eu poderia defender a postura de que "aquele que se assume para o mundo estará contribuindo para que o mundo nos veja com mais naturalidade" se eu mesmo não adotava essa postura. Como eu poderia continuar sendo o nerd solteirão para pessoas que conviviam comigo desde que eu era um bebê, como meus parentes e amigos da família?
Todas essas coisas vieram a tona naquele momento de quase embriaguês. "Eu não tenho obrigação de contar a ninguém" (eu pensava). Mas e eu? Eu queria mesmo continuar sendo visto como o ser assexuado da família? Quase um bibelô, de tão frágil. Quase um objeto, de tão imperceptível. O ser covarde que prefere que façam especulações a seu respeito pelas costas do que enfrentar a verdade de frente sem se importar com as consequências. Não, eu não sou isso, eu não quero isso. Eu sou homem, não posso ter medo de mim mesmo, muito menos dos outros.

Foi então que eu resolvi usar uma ferramenta que já havia usado antes, as redes sociais. Fui ao twitter e, sem me preocupar, me expus. Propositalmente, mas quase que irracionalmente. Quem lê isso que eu estou escrevendo agora pode até imaginar que foi algo friamente planejado, mas não foi. Foi um impulso. Sem o álcool, eu não o faria. Ficaria apenas com essas dúvidas presas na minha cabeça. E carregaria essa imagem que tinha e tanto desprezava por mais um longo tempo


Clique para ver em tamanho ampliado

O twitter tem um alcance rápido e infalível. Tanto que não demorou nem 24h para receber a primeira confirmação de que meus twitts tinham surtido um efeito maior até do que eu havia dimensionado. Um primo viu, contou para outros dois, os três foram contar para uma tia, que contou para outra, e assim a notícia se espalhou. Eu evitei o transtorno de fazer isso um a um, cara a cara, de maneira muitas veses verbalmente agressiva. Alguns podem achar que isso não teve significado nenhum, importancia nenhuma, mas teve um efeito maior até do que eu imaginava sobre mim mesmo. Eu senti o verdadeiro sabor da liberdade. Sim, dali em diante eu não precisaria mais passar pelo constragimento de alguém falar de mim ou caluniar pelas minhas costas, nem sujeitar minha mãe ou meu pai a isso.

Antes que a notícia atingisse um alcance ainda maior, eu resolvi contar ao meu Pai. Acho que a ele eu devia a oportunidade de saber disso pela minha própria boca. Ele reagiu da maneira que eu esperava, acho ate que ficou feliz com a notícia, também não sei, acho mesmo é que ele ignorou. Para o meu pai, essa é uma coisa tão natural que dizer "Pai, sou Gay" soa tão importante quanto "Pai, comprei o pão". Nunca esperei reação adversa da parte dele, só não contava porque não queria contar, nem queria que ele mesmo contasse a outras pessoas. Quantos aos outros da família, as reações variaram de "Te amo mais ainda porque você se assumiu" a "Estamos te apoiando em qualquer circunstância". Tiveram os indiferentes, é claro, mas quem se importa? Mesmo que eles se incomodem, isso é problema deles, não meu. Não estou nem aí para o que os outros pensam, seja de forma positiva ou negativa. O que importa é o que eu sinto, e isso ninguém vai mudar... "Quem manda nos meus sentimentos sou eu, e não os outros..."

"Tenho jasmim, tenho hortelã
Eu tenho um anjo, eu tenho uma irmã
Com a saudade teci uma prece
E preparei erva-cidreira no café da manhã

Ninguém vai me dizer o que sentir
Eu, eu vou cantar uma canção pra mim
"
(Soul Parsifal - Legião Urbana)

Segue a música tema do post. Não costumo postar músicas aqui, mas essa é tão bonita, diz tanta coisa, e se encaixa tanto no que eu estou sentindo agora, que resolvi coloca-la aqui, para que vocês não fiquem só nas citações também (caso algum de vocês nunca a tenha ouvido).




Bom gente, isso é tudo... Acho até que me alonguei demais nesse post. rsrsrs

Um grande Beijo a todos... Até o próximo!

16 comentários:

Serginho Tavares disse...

Muito legal este post e mais legal ainda você ter se libertado! A sensaçao de se sentir livre não tem preço mesmo.
Parabéns

Não sei se você já viu este filme em todo caso está aqui um bom filme pra você ver: "The Sum of Us" que conta a história de um pai que sabia do filho e dava a maior força pra ele encontrar a sua cara metade.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=munciFus8uM&feature=player_embedded

Link pro download: http://www.megaupload.com/?d=M72QX7DL

Antonio de Castro disse...

gente!

vc foi divo e anunciou q é gay no twitter. isso é coisa p poucos. ate agora so tinha visto ricky martin. ok, ok, piadas a parte

seu pai ja devia saber, por isso reagiu assim.

ainda bem q naquele dia vc nao foi cm o gui e cm o bruno. hehe

SG disse...

Que coragem. Você é meu ídolo.

Edu disse...

Eita, que legal! Não tive essa coragem ainda (e eu não bebo!) - virou meu herói!

Gui disse...

*-*

Já cansei de dizer aqui que fico orgulhoso (porque eu sou VIP e sempre sei de tudo antes pelo MSN, beijos) porque sempre te digo antes, né?

Olha, parabéns!

Saiba que estarei por aqui pra você sempre.

Beijo enorme!

Sérgio Breneditt disse...

Adorei seu post!
Mas vc foi muito gay mesmo usando da tecnologia para se revelar. Como disseram DIVO!!!
Viva o Twitter abrindo portas!!!
Sou seu fã! Obrigado pelo carinho sempre.

Abraços Coloridos =)

FOXX disse...

o bom é q eu apareço tb no seu print screen né? hauahuahaua

fico feliz q todo mundo tenha terminado bem, parabéns pela coragem! e parabéns pela família.

Ma disse...

A HA ZZOU RAPAZ ! hehe

Inveja preta da coragem, hehe

abs

Ro Fers disse...

Que legal que tnha tirado um peso de ti...
Fico feliz que tenha todo apoio de sua familia, pois isso é fundamental...
Forte abraço

Cocada.g disse...

Poxa cara realmente sua familia é 10! Se eu tivesse essa segurança em relação a minha já teria me assumido a muito tempo. Eu sei que de todos os meus primos e primas que são muitos, eu me assumindo teria apoio talvez de uma ou duas primas que são um pouco mente aberta, mas dos meus primos tenho certeza que de nenhum, por isso eu só desejo mesmo contar pra meus pais e irmãos. Boa sorte nessa sua nova condição e que você consiga encontrar o que quer!
Engraçado que eu iria me assumir no ano novo tambem mas acabei não podendo passar ano novo com minha familia hehe!
Abraços@, bom domigão!

Le Voyeur disse...

uia
tdb.com.br!
ainda faço isso na minha vida tb. e não demora...

bjs do voy

Lobo disse...

Que bom que sua família levou de boa. Tenho muita inveja quando leio essas coisas hahaha.

Via twitter então, nossa. Outing global, puro luxo ahauahauhaua

Um beijo Júlio. E que as coisas só melhores daqui por diante XD

Wans disse...

Parabéns pela conquista. E acredite, pode parecer uma coisa a toa, mas é o grande passo da sua vida.

bjão!

inconstanteblog disse...

Parabéns pela conquista [2].

Ainda não fiz o meu, e admiro muito os que o fazem =D

Agora, uma coisa: sobre os indiferentes, acho que eles tbm tem seu valor. E é positivo. Desde que tenham agido com indiferença porque encaram sua sexualidade como algo que não diz respeito a eles. Se foram indiferentes porque pensaram "e daí? isso não tem impacto algum na pessoa que ele é pra mim", os indiferentes são tão legais quanto os que prestam apoio ;)

Xêrooo!

inconstanteblog disse...

Ps: vc tava jogando paciência quando decidiu fazer seu outing no twitter?
huahuahua!

melo disse...

palmas em pé!
parabéns! assim é que se faz!
sou partidário de que todos devemos expor abertamente o fato de sermos gays pois, como você mesmo disse, só assim conseguiremos que isso deixe de ser motivo para espanto e passe a ser encarado com a normalidade que merece ser tratado.
grande passo, vá em frente, não se intimide pois sua liberdade, sua paz, estar bem com você, não ter preço!!