Procure Edições Antigas

sábado, 12 de maio de 2012

Dado Viciado



"Você não tem heroína, então usa Algafan
Viciou os seus primos, talvez sua irmã
Mas aqui não tem Village, rua 42
Me diz pra onde é que é que você vai depois
Por que você deixou suas veias fecharem?
Não tem mais lugar pras agulhas entrarem
Você não conversa, não quer mais falar
Só tem as agulhas pra lhe ajudar"
(Dado Viciado - Legião Urbana)


Hoje me deu uma vontade danada de escrever sobre uma pessoa... Talvez uma das pessoas mais especiais que já passaram pela minha vida. Hoje vou falar do meu melhor amigo... o Wall! Já falei do Wall antes aqui... Já cansei de dizer o quanto ele é especial para mim, já falei de decepções que tive com ele, de frustrações, de diversas situações que experimentamos juntos... Mas ainda assim, vocês não têm nem ideia do quanto esse cara significa pra mim.

Na véspera do ultimo feriado, no final da tarde, Wall esteve aqui em casa. Passamos a noite colocando o papo em dia, ouvindo "The Smiths", "Bauhaus" e Joni Mitchel, falando besteiras e fazendo nossas conjecturas impossíveis. É bom saber que Wal hoje está seguindo um caminho regular, que não tem mais motivos para entrar em depressão, ou para se achar improdutivo. Sim, Wal sempre foi um cara depressivo, e eu sempre quis ajuda-lo, mas muitas vezes não sabia como. As vezes eu tinha a sensação de que apenas eu enxergava o quanto Wall era genial, e isso me dava uma aflição... De qualquer forma, eu sempre procurei estar por perto quando ele precisasse de mim, e ele, sem dúvida, foi o único amigo que também sempre esteve do meu lado, por mais que muitas vezes estivesse distante.

Exatamente por esses motivos eu sempre me preocupei muito com o Wal. Ele é o tipo de amigo que não se pode nem pensar em perder. Acho que uma das fases mais tensas foi há pouco mais de 2 anos. Na época, Wall começou a trabalhar como frentista em posto de gasolina onde seu pai era gerente. Ele trabalhava no turno da madrugada, e como o bairro dele fica em uma região isolada da cidade, aquele era o único posto de gasolina que funcionava até este horário naquela região. Na época tínhamos 18 ou 19 anos e um monte de ideias doidas na cabeça... Uma delas era a de experimentar algumas drogas ilícitas, como maconha, LSD, Ecstasy e Cocaína, só para ver como é que era... Coisa de adolescente mesmo, que quer experimentar de tudo que a vida tem a oferecer

Certa vez, durante seu expediente no posto, Wall estava atendendo 3 caras. Eles estavam bebendo cerveja. Em determinado momento, um dos três pegou alguma coisa no bolso e o grupo se reuniu mais, na tentativa de esconde-la. Quando reparou que havia algo errado, Wall ficou tenso. Um dos rapazes percebeu sua reação e, com medo de que Wall tomasse alguma atitude contra eles, ofereceu um pouco do conteúdo que havia no recipiente que retirara  de seu bolso: cocaína. A julgar pelas ideias que tínhamos naquela época, nem preciso dizer se meu amigo aceitou ou não a oferta, não é?

Eu fui o primeiro a saber. Wall fez questão de ligar pra mim no dia seguinte para se gabar da aventura. Confesso que senti uma pontinha de inveja, afinal de contas ele estava na "vantagem" sobre mim. De qualquer jeito, eu "sabia" dos perigos que uso imaturo e descontrolado destas substâncias poderia trazer, e isso me deixou tenso. Conhecendo a personalidade depressiva de Wall, sabia o uso de cocaína poderia se tornar muito conveniente, e que a propensão ao vício seria maior nesse caso. No entanto eu não o repreendi, só o alertei para que não fizesse mais... Ele já tinha provado, era isso que ele queria, já estava de bom tamanho, né?

Mas não foi bem isso que aconteceu... Wall não era muito de ouvir conselhos. Ao contrário do que eu tinha sugerido, Wall criou uma espécie de rotina para usar a droga. Os mesmos caras do primeiro dia traziam a droga para ele quase que diariamente, e quando pararam de trazer, ele passou a procurar outros meios de obter a cocaína. Em menos de um mês ele já estava fissurado, e já estava usando outras drogas, como maconha. Foi aí que eu comecei a ficar seriamente preocupado... Já cheguei a presenciar algumas vezes ele usando cocaína. Aquilo nunca me chocou, mas não podia deixar de ficar preocupado. Na época (eu sei que nem faz tanto tempo) eu tinha um pensamento totalmente diferente do que eu tenho hoje sobre drogas ilícitas, e eu tinha medo de verdade de que algo muito sério acontecesse com meu melhor amigo...

Talvez tenha sido o próprio Wall que tenha feito eu mudar meu pensamento em relação ao uso de drogas ilícitas. É um assunto muito complicado e polêmico para eu discutir aqui nesse post, que por sinal já está bastante extenso. A grosso modo, podemos dizer que a mídia dá uma boa exagerada, por motivos extremamente complexos além de apenas a preocupação com a saúde dos usuários. A questão é que o fato de meu amigo fazer uso de drogas não o impediu de ser uma pessoa brilhante e bem sucedida. Essa era a minha maior preocupação, depois é claro da de perder o Wall para sempre, literalmente. Ele aprendeu a controlar o consumo e hoje convive bem com isso. Está lá, estudando, fumando os seus baseados de vez em quando, dando suas aulas de inglês, se mostrando até mesmo mais brilhante do que eu poderia imaginar.

É incrível como certas pessoas tem o poder de entrar na nossa vida e nos fazer aprender muito sobre muitas coisas. Não sei mais se devo chamar o Wall de amigo. Ele é muito mais que isso. É o irmão que eu escolhi. Minha convivência com Wall me ensinou tanta coisa... Ele sempre significou muito pra mim, por isso tive tanto medo de que algo de ruim acontecesse a ele. No final das contas, ainda pude tirar algo positivo de uma situação que tinha tudo para dar errado. Na verdade, hoje até rimos do que aconteceu naquela época! E que bom que rimos, e podemos ouvir nossa música boa em paz nos feriados, ele pode corrigir meu inglês tosco... De uma coisa eu tenho certeza, não é qualquer narcótico que seria capaz de levar embora o meu melhor amigo... Eu não deixaria, mesmo que o caminho não tivesse sido esse!

"And I'll be there
You've got a friend.
If the sky above you grows dark and full of clouds,
And that old north wind begins to blow,
Keep your head toget-her and call my name out loud.
Soon you'll hear me knockin' at your door.
You just call out my name, and you know wherever I am,
I'll come running to see you again.
Winter, spring, summer, or fall, all you have to do is call"
(You've Got a Friend - Carole King)




Então, gente... Era Isso!
Um grande Beijo a todos vocês!
Até o próximo...


EDIT: Pra quem estiver curioso, agora já é possível acessar o blog do Wall, hauahau. Ei-lo aqui: http://domoestrelado.blogspot.com.br/

11 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Super bacana esta sua amizade com o Wall. Eu, nunca fui de ter muitos amigos mas poucos e muito especiais. Sei bem o q é isto o "GRANDE AMIGO". Hoje já sou bem mais eclético e aprendi a ter muitos bons amigos mas, é claro q sempre teremos aquele especial, o irmão de fé! Bratz tem dois assim ... pena q eles moram longe mas nem por isto deixam de ser presentes ... nos falamos, nos confidenciamos todos os dias e sempre rola no mínimo um encontro anual ... é isto rapaz ... Amigos são a família q escolhemos ...

bjão

FOXX disse...

vc fala como se o baseado fosse a coisa mais perigosa do mundo, a cocaína é mto mais. mas q bom q ele está controlado.

Antonio de Castro disse...

eu juro que fiquei esperando um final clichê e "feliz".

tenho vergonha de admitir, mas fiquei quase feliz por vc nao ter sido tão previsível nesse texto.

preciso admitir outra coisa tb: sou terminantemente contra cocaína.

Ro Fers disse...

Uma boa e verdadeira amizade nos faz muito bem, é muito bom ter alguém ao nosso lado...
Mas enfim, você chegou experimentar drogas? O seu amigo ainda usa???
Seja o que for, faço votos de que curtam a vida da maneira que acharem melhor, desde que não se prejudiquem.
Abraços

Raphael Martins disse...

Quero saber dessa história direito, em off... :l

Raphael Martins disse...

Ui, ela conhece Carole King ! rs

| Diego Dellano disse...

Curti o Wall! e A amizade vc's!

melo disse...

assunto super-estimado e hypado meu bem...sério!
fosse tratado com mais serenidade, maturidade e menos tabloidismo e moralidade de botequim, as coisas seriam mais claras.
mesmo porque quem quer faz e não adianta proibir ou fazer campanha contra, deixa usar, libera, melhor que fazer esse alarde todo em cima de algo que antes um caso de saúde do que de moral..

O Rei do Drama disse...

eu fiquei com meu melhor amigo, que pra mim é um irmão, e desejo ele todos os dias. com vcs ja rolou tb?

Júlio César Vanelis disse...

@O Rei do Drama: Não foi bem assim conosco não. A gente só experimentou, como primeira experiencia, mas depois foi cada um seguir seu desejo para o seu lado! rs

Junnior disse...

Eu pensei que o Wal fosse morrer no final. Juro.
Mas ele está lá (onde mesmo?), estudando, fumando seus baseados, rsrs.
Fiquei com vontade do Wal após ler esse delicioso texto. Até linkei no 'aqui' pra ler o outro, mas esse está mais legal e literalmente declarado.
Sorte de vcs 2 se terem.
Bjaum.