Procure Edições Antigas

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Angústia com Sabor de Maracujá


"Já não sei dizer se ainda sei sentir
O meu coração já não me pertence
Já não quer mais me obedecer
Parece agora estar tão cansado quanto eu

Até pensei que era mais
Por não saber que ainda sou capaz de acreditar
Me sinto tão só
E dizem que a solidão até que me cai bem

Às vezes faço planos
Às vezes quero ir
Pra algum país distante
Voltar a ser feliz

Já não sei dizer o que aconteceu
Se tudo o que sonhei foi mesmo um sonho meu
Se o meu desejo então já se realizou
O que fazer depois, pra onde é que eu vou?

Eu vi você voltar pra mim..."
(Maurício – Legião Urbana)

Sinto falta de alguém. De alguém que me dê atenção. De alguém que me diga o que eu mereço ouvir. Que me diga o que eu quero ouvir, mesmo que não seja verdade. Que me coloque pra cima (em todos os sentidos), que me dê força e coragem pra continuar essa rotina cansativa. Que me dê um sentido na vida. Que me dê filhos, mesmo que estes não sejam nossos. Que faça planos comigo. Que me faça sofrer de saudades, de ciúmes...

Tenho medo. Morro de medo de essa pessoa não existir. E olha que eu não exijo perfeição. Acho que não estou em condições de exigir nada. Eu só queria alguém que me chamasse de "meu", é exigir muito? Mas eu tenho esperança... Acho que é ela que me dá esse impulso para continuar sonhando com ele, mesmo sem saber se ele realmente existe, ou se ele é criação da minha cabeça.

Minha esperança ainda vai mais longe, me fazendo acreditar que ele pode estar aqui, pertinho... Talvez não tão perto agora, mas também não tão longe. Algo verdadeiro, tocável, com cheiro, cor. E ele é tão perfeito, mesmo eu não exigindo perfeição. Seria audácia minha querê-lo? Será que eu devo, que eu posso? Será que ele é assim tão perfeito, ou é apenas algo que eu criei na minha cabeça? Isso já não importa... O que me intriga é não ter certeza de que ele é mesmo ele... E isso não se descobre com pressa, se descobre com paciência, tempo...

Não vivem dizendo por aí que o amor é uma ilusão? Pois então, tudo que eu queria agora era vivê-la. Como quem come um mousse de maracujá: aquela brevidade doce, que nos tira desse plano por alguns segundos, segundos tão maravilhosos que ficam guardados na nossa cabeça. E eu sou guloso, quero me deleitar. Multiplicar os segundos em horas, dias e meses (quiçá anos...). Comer todos os mousses de maracujá que eu tenho direito, sem me preocupar com as conseqüências.





Mas eu tenho pressa, e dizem que a pressa é inimiga da perfeição. Eu não quero perfeição, quero realidade. Acho que a pressa é inimiga dos acontecimentos. Então vou ter que dar um freio nessa danada. Pra que se importar com a espera, se dela podem brotar os frutos que eu tanto desejo, com sabor de mousse de maracujá?

"Seja paciente, Júlio... Você nem chegou aos 20 e já tá desse jeito, moleque? Toma vergonha na cara e vá estudar, vá cuidar de sua vida... Porque amor não enche barriga não, ainda mais amor platônico." (Palavras de Dona Consciência, já to de saco cheio dessa gorda chata). Infelizmente (ou felizmente) eu tenho consciência que o amor, por mais que seja muito, não alimenta, nem tira fome, nem dá dor de barriga, como faz o meu mousse preferido...

Uma noite dessas eu escrevi dois poemas. Um bando de pensamentos povoava a minha mente e não me deixava dormir, além do calor que faz há noite aqui em casa. Levantei e escrevi. Não sei se ficaram bons, acho que ficaram meio bobos. Quando eu escrevi a minha última poesia eu tinha 14 anos, e com ela ganhei o festival de poesia da minha escola. Pois é, mesmo tendo muito mais incentivo do que os personagens de Saint-Exupéry (tá que a minha poesia ficou bonitinha na época, nada comparado a uma jibóia digerindo um elefante, kkk), acho que com o tempo sem praticar, acabei perdendo o jeitinho pra coisa. Também, depois de trocar uma palavra com o Bruno sobre poesia, acabei descobrindo que eu não entendo nada disso... Acho melhor eu voltar a estudar células do sistema imunológico, pelo menos parte delas eu entendo (kkk).





Enfim, ruins ou não, eu não vou queimá-los (os meus poemas de agora) como pensei em fazer logo de cara, mas também não os postarei aqui. Pelo menos não por enquanto, até ter certeza de que eles não são tão idiotas quanto eu penso.
"Maurício" é uma música linda. Eu vivo dizendo que Legião Urbana é minha trilha sonora, só que tem músicas deles que eu definitivamente não queria ter como tema. "Maurício" é uma delas, apesar de linda... Pra minha insatisfação e angústia, de alguma forma, essa música se encaixou na minha vida assim, de repente, nem sei como... Vou deixar a música aqui, caso alguém ainda não tenha ouvido. Pensando pelo lado positivo, antes ter "Maurício" na minha trilha sonora do que "Love in the Afternoon", hahaha.



Um beijo daqueles que eu sempre deixo para vocês. Virtual, mas cheio de carinho... E até o próximo post!

15 comentários:

wonderfulcauseiam disse...

Como assim poemas moço? "Tu não és uma Patrícia Poeta que como dizias mim e dizias tu, o que dissestes tu, ,oh anjo torto que pisaste em minha vida?" - se não entender a piada procure "Patrícia Poeta MTV" no Youtube.
Carência é foda né? É capaz de nos fazer até redigir poemas e posts que nos causam vergonha alheia depois de escritos. Sorte que você foi feliz na descrição do sabor: mousse de maracujá. Parece um sonho mesmo.

Abbraccio!

Autor disse...

Acho tão engraçadas essas inquietações dos 20 anos.
E pensar que aos 29 elas ainda me dominam. Claro, diferentes, por outros motivos (e alguns iguais), mas continuam.
E, menino, liga não, só vive! Faz parte!
Bjos

Edu disse...

Vou mandar o Lobo dar um jeito em você e é já!!

Legião é a melhor!!

Gui disse...

Olha, triste é saber exatamente o que acontece e não ter controle nenhum.

Mas vem cá que te dou colo, você merece.

SG disse...

Pois é. Por que tantas pessoas abrem mão de um mousse de maracujá por um efêmero e sem significado "beijinho de coco"?

Amo mousse de maracujá. O literal e o metafórico.

Um abração!

melo disse...

não jogue fora nada do que você escreve gato!! opinião de quem escreve também.

amanhã você vai querer de volta e vai se arrepender. coloque aqui sim, somos nossos críticos mais ferrenhos e geralmente achamos que boa parte que fazemos é bosta e pode até ser mas, se você escreve tem de dar a cara pra bater e deixar o povo opinar.

é assim que você vai crescer e escrever melhor e sempre. nunca pare! se você gosta mesmo, nunca pare!

LU também foi a trilha da minha adolescência e 'Mauricio' em especial diz muito pra mim pois reflete bem o relacionamento que vivia na época.

quanto ao amor, ele vem sim, não desanima, a ansiedade só desova em decepção mesmo, deixe as coisas correrem que elas acabam se acertando por si, fato.

Ro Fers disse...

Q belo comentário do Melo...

Então... As coisas acontecem naturalmente, qdo menos esperamos, embora confesso que sentimos aquela ansiedade, mas é a vida, pra tudo tem a hora certa...
Mas não desista.....
Forte abraço

Antonio de Castro disse...

se eu não ficasse repetindo pra mim mesmo as palavras do autor no comentário dele a cada cinco minutos, eu facilmente poderia ter escrito esse texto. porque é exatamente isso que eu sinto. exatamente. e eu só tenho 21 anos tb, que é pouco mais que 20. talvez seja mesmo inquietação da idade.

engraçado tb foi vc falar de maracujá. há pouco tempo postei um texto que fala justamente sobre isso... maracujá. essa maldita fruta é inspiradora, né?

obrigado por externalizar (se é q essa palavra existe) os sentimentos q eu venho segurando dentro de mim. se eu sou louco por pensar essas coisas, pelo menos não sou louco sozinho.

beijos

Borboletas nos Olhos disse...

Afilhado, sabe o que é bom de estar na casa dos 30 anos? Não estar mais com 20, heheh.
Viver é bom, vai aproveitando. Amar não é tão bom (coça, dói, irrita, rsrs), mas não amar é horrível.
E eu fiquei curiosa sobre seus poemas...Aliás, não vai rolar um oferecimento de post pra mim não, é? Affe, falta de peia...

Wans disse...

Vc escreve muito bem, e percebemos que escreve com o coração.

Mas digo, odeio LU. Houve uma época que adorava, porém, achei que ficou too much over.

bj

DPNN disse...

"Maurício" é a minha música preferida da Legião Urbana!

O bom da vida é aproveitar o que cada fase tem a oferecer, porque a gente só tem uma chance...

Um abração!

Paulo Braccini disse...

Querido Júlio, aqui cheguei a partir do post de hoje do Melo, e q agradável surpresa me deparar com uma pessoa tão jovem mas tão consciente da realidade. Viajando aqui por seus escritos cheios de pura emoção pude me rever em minha juventude e repensar muita coisa de minha vida. Faço minhas as palavras do grande Melo no q concerne a este presente desabafo seu: "quanto ao amor, ele vem sim, não desanima, a ansiedade só desova em decepção mesmo, deixe as coisas correrem que elas acabam se acertando por si, fato." Se puder e, se interessar, veja depois o meu coment no post dele. Só como referência tenho 60 anos e vivo um relacionamento de 36 [quase 37] anos e tudo o q vc vive e sente hoje, um dia eu senti. Estou completo hoje? Not ... a vida continua em sua trajetória de nos ensinar coisas novas como as q aprendi hoje com vc e com o Melo.

Seguindo e linkando ... voltando sempre ...

bjão

;-)

Serginho Tavares disse...

Definitivamente a música resumiu tudo o que você disse no post
E não tenha pressa, se possível tenha calma e faça acontecer!

Isso é normal e passa!

Beijos

Jovem Urso disse...

Eu sinto essa mesma angústia às vezes, que chega a me levar a alguns níveis de depressão, mas depois passa.

Não é possível que sejamos tão ruins assim a ponto de morrermos sozinhos, né? XD

Ainda bem que a esperança é a última que morre, haha

Bjo e abraço.

Anônimo disse...

Every bride has their own color, and some dynamic, some dazzling colorful, full of love ... ... and some colors are the future of each symbol, depicting the bride's future.
Wedding Dresses
Thanks for your sharing! I am pleased to share my joy with you?