Procure Edições Antigas

domingo, 7 de novembro de 2010

Como se já não bastasse...

Esses dias, pouco depois de publicação do meu ultimo post, a Borboleta comentou (muito fofa), e me indicou o blog da Lola (que aliás, é fantástico também). O post que li era sobre o redeio de gordas promovido por alunos da UNESP. Bem, eu não vou falar sobre isso nesse post, eu só o citei por que foi nele que eu encontrei inspiração para escrever esse post aqui. No início do texto, a Lola comentou uma discussão que conduziu com seus alunos sobre o PLC 122/06. Seus alunos perguntaram sobre sua posição em relação a tal projeto de lei. Eu particurlarmente, achei a resposta dela bastante sensata: ela se posicionou de maneira bastante imparcial, uma vez que ela não havia tido acesso ao projeto ainda e que ela não faz parte do grupo imediatamente contemplado pelo projeto. No entanto, ela considerou que, como nós, homossexuais, considerávamos o projeto tão fundamental, ela tendia a se posicionar a favor do projeto.
Antes de qualquer coisa, eu gostaria de comentar que tal declaração da Lola não poderia ser mais inteligente. Ela demonstrou um bom-senso incrível com isso. Se todas as pessoas que estão fora do grupo de interesse dessa lei se posicionassem da mesma maneira que ela, nossos direitos estariam muito mais próximos de se tornarem reais.
O fato é que esses comentários me incentivaram a vir aqui e mostrar o que eu penso sobre o PLC 122/06, e como o considero importante, não só para os homossexuais, mas para a sociedade em geral.
Quando eu comecei a frequentar os lugares "gays", eu pude perceber que a discriminação é maior do que eu pensava. Nós só temos liberdade de expressar afeto (simplesmente afeto) pelo outro em locais ou fechados e/ou demarcados como gays. O que me fez perceber isso foi quando eu soube que um pedaço da praia de Ipanema (demarcado pela Rua Farme de Amoedo) era reservado para homossexuais.
Praia de Ipanema (Trecho Gay)

O pior de tudo é que tem gay que acha isso bonito, acha legal ter uma parte da praia só para nós. Eu acho isso um absurdo... Em uma sociedade realmente igualitária os homossexuais poderiam se expressar em qualquer lugar que quisessem sem ter que dar satisfação a nimguém. Se a pessoa sente sua moral ferida, ou se sente  incomodada com isso, que vire os olhos, que vá para outro lugar. A ideia é que vivamos em uma sociedade com liberdade plena de expressão, e não é isso que acontce na prática.


Nós vivemos uma espécie de apartheid, só que um apartheid não declarado, implícito. E existem pessoas que ainda tem a cara de pau de dizer que o PLC 122/06 limita a liberdade de expressão... Pra mim, liberdade de expressão legal é diferente de liberdade de calúnia, liberdade de humilhação, liberdade de violência verbal... Se sugerem tal comportamento, então sugerem que o crime de chamar uma pessoa preta de macaco, crioulo ou outro nome pejorativo também vai contra a liberdade de expressão. Só para vocês verem a contradição dos argumentos.
Como se não não bastasse, eles se sentem no direito de invadir nossos lugares e discriminar, humilhar e violentar... É como se vivessemos numa prisão, onde os carcereiros fazem questão de nos dar uma surra todos os dias (lembrei de "O Conde de Monte Cristo" rs). Isso é muito comum, por exemplo, na Cantareira (Niterói).


Praça da Cantareira (Niterói)

Todo mundo que estuda na UFF ou que mora em Niterói sabe que a cantareira é um local bastante gay alternativo. As pessoas já vão pra lá sabendo que vão encontrar um monte de homossexuais se agarrando em atos de afeto. Eu já perdi a conta do número de pessoas que sofreram (ou quase sofreram) violencia física na Cantareira simplesmente por serem gays. Eu não vou nem comentar os casos de violencia física que levam à morte, que acontece muito com adolescentes homossexuais, ou apenas supostamente homossexuais (como o Alexandre Ivo, adoslescente de 14 anos que foi assassinado aqui em São Gonçalo pelo simples fato de estar com amigos gays), ou com travestis na Lapa...
Para mim, o PLC 122/06 não é apenas um capricho nosso. Agente só quer assegurar nosso direito de liberdde de afeto, nosso direito de ir e vir e, acima de tudo, nosso direito à vida. Quem sabe esse não é o primeiro passo para uma sociedade onde nós possamos ser o que realmente somos, sem a necessidade de ter um armário a postos para entrarmos quando a situação aperta.

Um beijo aqui, um abraço lá... No lugar que você quiser !

5 comentários:

Gui disse...

Assim, acho que está perfeito.

Eu mesmo já quase apanhei indo pra casa.

Mas ficar sonhando com o mundo ideal tem me consumido muitas energias.

Borboletas nos Olhos disse...

Primeiro, beijos e abraços recebidos com muita alegria. Segundo, thanks por dizer que sou fofa, fiquei vermelhinha de alegria. Terceiro: lindo post. Interessante e informativo. Excelente mesmo. Já está linkado no meu face, rrsrs. Bjs calorosos e esvoaçantes

Daniel Braga disse...

Hey, adorei seu post! Muito bom mesmo. Disse o que precisava ser dito. E obrigado por me visitar. EU escrevo o que me vem à mente, se escrevo pouco ou muito é indiferente, mas gosto de me fazer entender em poucas palavras =)

~Até a próxima.

*DB*

Lobo disse...

Bom, acho a questão de ter lugares demarcados pra nós bem complicada, mas é um ponto a questão que facilita bastante a vida você estar num lugar em que você possa chegar em alguém que muito provavelmente também será homo, do que arriscar topar com hétero. No mundo hoje, onde cometer esse tipo de "erro" pode ofender um hétero de tal modo a fazê-lo partir pra agressão, correr esse tipo de risco não é nada saudável. Mas num futuro distante talvez... Acho que existem formas e formas de fazerem as coisas funcionarem. De baixo pra cima é uma opção, com diálogo, conversa e consciêntização. mas quando algum dogma ou escrotiza impede que isso seja feito, ai se faz necessário que a mudança seja de cima pra baixo, doa a quem doer.

Agradecendo aqui a visita lá no Uivos. Você caiu lá em uma das minhas piores semanas hahaha. Tô impressionado que você não tenha morrido de tédio ou fugido de medo :p

Um beijo Júlio!

BSvox disse...

Gostei muito do post. Sensato. Me indigna é que muitos gays sao contra sem nunca nem ler o que diz.