Procure Edições Antigas

domingo, 14 de novembro de 2010

Padrinho, esse é pra você!

Eu ainda me lembro da primeira vez que falei com o Gui. Foi depois da aula de embrio/histo, na fila da xérox do Biomédico. Eu sempre fui muito introspectivo, porém observador. Observava a maneira como aquele garoto falava com as meninas na fila, tão comunicativo, alegre... Confesso que senti um pouco de inveja (inveja boa, se é que existe), mas a simpatia foi maior. Não sei como entrei na conversa, só sei que acabei me comprometendo a escanear e mandar para o e-mail da turma o programa da disciplina de morfo. E eu fiz? Pior que eu não fiz. E não é que o tal garoto que eu ainda não conhecia bem foi lá me cobrar? kkk, bem a cara dele... :D.
O tempo passou, um comentário sobre a prova de Física alí, uma troca de cumprimentos lá, e depois de poucas semanas já eramos parceiros de buraco nas aulas vagas (e não vagas também), sempre ao lado da nossa linda e doce Ângela. Era o início de uma das amizades mais verdadeiras que tenho até hoje.
Me divertia (e me divirto) muito ao lado do Gui, até hoje me lembro como fomos quase expulsos pela professora por jogar buraco durante a aula de ICF, ou como rimos da Ângela quando ela pensou que ele carregava KY na bolsa, quando na verdade era pomada para espinha... Ele, junto com a Ângela, foram as primeiras pessoas da faculdade a saberem quem era eu de verdade (digo a respeito da minha sexualidade), ele foi um dos primeiros a perceber que eu era muito mais que um garoto estranho gordinho que usava óculos e que tinha um cabelo igual ao da Maria Bethania (kkkkk). Ele sempre me deu força, sempre com aquela palavra de conforto, sempre com a maior sanidade que uma pessoa pode ter, e com toda a insanidade que uma pessoa precisa ter nos momentos mais propícios... Sempre tomando para si o problema dos outros, e resolvendo-os como um especialista o faria e sem receber nada em troca muitas vezes.
Foi ele que sempre lembrou de mim, mesmo eu cometendo tantos vacilos com ele... Ele que me apresentou o mundo, e como eu posso ser feliz nele sendo eu mesmo. Ele que me levou pra Cantareira, pro Cine, pro Carnaval... Que me emprestou 10 reais para eu comprar um maço de cigarro... Que me convenceu de que eu deveria escrever um blog porque eu tinha muito a dizer (e tenho mesmo).
É esse garoto tão especial, tão querido, tão maluco, tão genial, tão sacana, tão insano, que eu quero homenagear com este post.

Gui, eu sei que de um tempos pra cá nós estivemos meio "distantes", mas minha amizade e admiração por você continuam intocadas. Obrigado por ser quem você é e por ser meu amigo! Te adoro cara...

Nossa, esse post ta bem com cara de depoimento do Orkut (kkkkk). Tomara que vocês leiam, nunca usei tanto o coração para escrever um post...

Um abraço a todos, Até o próximo...

7 comentários:

Lobo disse...

Quero só ver a cara do Gui quando ler isso aqui.

Deixo só ele voltar da balbúrdia libidinosa que ele se meteu hoje, e saberemos hahaha

Pessoas gostam de falar de presentes... e tem presente melhor que uma palavra amiga? Ainda mais quando são coisas bonitinhas, e não aquelas declarações de afeto dos meus amigos hahaha

Um beijo Júlio!

sougay disse...

Muito bonito o seu post. Sorte do Gui!

Abração!

Borboletas nos Olhos disse...

Ai, que fico toda derretida de ter um maridão tão gente boa assim...O Gui é realmente uma das pessoas mais incrivelmente fofas que eu já (não) vi!
E você é um amigo incrível por saber escolher palavras tão verdadeiras e tocantes pra falar do seu afeto. Lindo post!
Só fiquei com algumas dúvidas...como vocês jogam buraco durante a aula? e como conseguem jogar buraco só três pessoas?

Júlio César Vanelis disse...

Ahh, sim... Na verdade quando não tínhamos outra pessoa para fazer parceirada, agente jogava cada um por si, e era muito divertido hahaha.
Quanto a jogar na aula era assim: Nós tínhamos uma disciplina que era ministrada no auditório do instiruto de química da UFF. Esse auditório tinha uma iluminação péssima e as mesas eram juntas e tinham um espaço um pouco mais embaixo. Nós montávamos o jogo nesse espaço e colocávamos as mochilas em cima da mesa, para esconder nossas mão cheias de cartas... kkkkk... Era muito engraçado!!

Gui disse...

Ca-ra-ca. To meio assim, sem o que falar.

Comofas?

Poderia fazer um texto dizendo coisas sobre você também...não, não poderia. Jamais chegaria aos seus pés.

Só estou, assim, perplexo.

Obrigado pela consideração, por tudo.

Beijos

Borboletas nos Olhos disse...

Uia, que delícia de aula, rsrsr. As minhas eram quase sempre em círculo ou meia lua...nempensar em entretenimentos extras :(

FOXX disse...

o Gui é um fofo mesmo, mas cadê vc q não conheci qndo fui em Niterói?!

e eu ganho um selo e vc nem avisa?